O meu vizinho é muito fofoqueiro e inconveniente

Ele fica saindo e voltando pra casa de 30 em 30 minutos. Ele sempre faz um barulho quando passa, e as vezes claramente vai andando devagar pra ver o que eu tô fazendo e tentar puxar conversa comigo, dizer um oi ou apenas acenar.
O cara gosta de conversar e marcar presença e território.
Sons são formas de marcar território. E ele emite muitos sons.
Sons e palavras são navalhas. Cortam a minha alma.

O cara me viu meditando todo dia durante um tempo e disse que meditava também. É muita busca por aprovação social por comunalidades.
Mas eu emito muitos sons também. Não gosto de usar fones de ouvido, escuto música alta, canto, assobio, toco ukulele e violão, converso com alto com pessoal dentro de casa.

Todos estamos desesperados por atenção, e usamos os sons como forma de comunicação constantemente. Estamos sempre em uma constante conversa com nosso ambiente e com todos ao nosso redor.
Os homens são animais sofisticados, mas mantém todos seus instintos inconscientemente ativos.

Temos dois olhos, dois ouvidos e apenas uma boca. Essa foi a dica que o cara da cantina me deu. Isso foi o que minha mãe me disse. Só abra a boca para dizer algo que realmente faça sentido e tenha alguma relevância.
Ouça mais, escute, preste atenção, reflita, observe, veja, valorize os detalhes e somente quando necessário e importante, fale.
Fale somente quando for sua vez.
O mundo é uma grande roda de conversa, todos tem sua vez de falar, e todos serão ouvidos, desde que escutem e falem quando devem.

Advertisements
Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s