Escrever sobre a vida de um escritor

A vida de um escritor é isso. Escrever sobre a vida de um escritor.
Um escritor deve ter calma. Cuidar da mente. O momento mais importante do dia é o registro. Esse momento é sagrado, deve ser bem planejado.
Tudo leva à ele. Um texto bem escrito é uma recompensa.
O hábito e a rotina ajudam, mas o inusitado às vezes tem resultados bem mais interessantes.

Ontem eu tive umas conversas interessantes mas não sei como escrever sobre isso.
Na hora da conversa me deu uma vontade de ter um papel e uma caneta pra ir anotando as ideias.
Certos episódios da vida das pessoas são tão surpreendentes que me assustam. Me deu uma vontade de compor músicas sobre o que eu escuto nas ruas.
Eu vejo um espelho nas pessoas que conheço. Os sentimentos se repetem.

Eu gosto tanto de música e mesmo assim pouco utilizo o que sei. Acho que é por isso que tenho vontade de compor. Não tenho disciplina nenhum pra montar um repertório, decorar músicas dos outros, treinar todo dia, aprender teoria… quem sabe se eu começar a criar não surge alguma coisa.
Como Nietzsche dizia, sem música, a vida seria um erro.

Fiz um experimento a algum tempo atrás, escrevendo músicas todos os dias de manhã, no melhor estilo Freudiano de livre associação de ideias. Resultado: a maioria das músicas manifestavam de alguma maneira meus sentimentos, que em sua grande maioria se resumiam ao meu relacionamento com minha ex-namorada.
Apesar de ter achado o experimento interessante, não gostei muito dos resultados, achei as músicas muito repetitivas, semelhantes e rasas. Não criei afeição por nenhum delas à ponto de trabalhá-la com mais afinco.

Acredito que pra compor uma música boa se faz necessária uma certa dedicação. Apesar de alguns relatos, como o do Almir Sater sobre a composição da canção Tocando em Frente, deixarem bem claro que a produção artística está muito relacionada à momentos de inspiração que vão além do simples esforço cognitivo consciente. Chame isso do que quiser, seja um acesso ao inconsciente, manifestação de uma musa, de um espírito, o caralho à quatro…
Nós, humanos, gastamos muitos esforços tentando definir e entender as coisas. Algumas coisas simplesmente não se explicam. Simplesmente são. Aceitar é melhor.

Advertisements
Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s