Relacionamentos

Como não ficar puto?
Como perdoar?
Como relevar?
São tais atitudes realmente necessárias?

Às vezes você vacila com os outros.
Às vezes você pisa no calo dos outros.
Às vezes você age de uma maneira que deixa os outros desconfortáveis.
Só às vezes, você percebe que está sendo inconveniente, que está vacilando, incomodando.
Às vezes falta pensar no outro, se colocar no lugar do outro, pra perceber o possível erro.
E o pior é que às vezes você está ciente da indelicadeza, mas te parece, no momento, a única possibilidade.
O único encadeamento possível.
Às vezes, em nome da própria vida é preciso atrapalhar, ou desregular, ou trespassar um pouquinho a vida do outro.
Cruzar.
Mas basta ter uma intenção positiva.
Um perdão e uma anistia.
Uma aceitação de próximo.
Um amar até os defeitos.

A primeira pessoa que eu tenho que amar é a mim mesmo.
Filosofia projecional básica.
Produto secreto da auto-ajuda.
Foi o que eu usei pra atrair a Paula, minha primeira namorada.
Lembro bem o processo de desejar, fantasiar, descrever, agradecer e daí então… as coisas irem acontecendo… o convite pra um aniversário de uma desconhecida, por uma galera que eu não andava muito, relativos de um amigo de infância.

Você tem que valorizar quem te conhece.
Relações antigas.
Brothers primordiais.
O Pedro é meu brother primordial.

Advertisements
Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s